Ações Sustentáveis


As Empresas Rio Deserto respeitam os princípios da sustentabilidade, realizando as atividades de forma a manter a economia, o meio social e ambiental equilibrados. Os investimentos em pesquisas e desenvolvimento ocorrem constantemente e possibilitam a realização de mais ações com menos recursos, por meio do reaproveitamento nos polos fabris e na produção de matérias-primas.

Gestão Ambiental

Palestras e treinamentos são promovidos para esclarecer temas relacionados aos critérios ambientais.
Da mesma forma, as auditorias são realizadas tendo em vista a intenção de melhorar o Sistema de Gestão.
Todas as unidades de extração das Empresas Rio Deserto possuem Sistemas de Gestão certificados de acordo com as normas ISO 9001 e ISO 14001.

Controle Operacional

Todas as atividades que envolvam, de alguma forma, aspectos ambientais, são controladas.
Frequentemente são realizados simulados de emergência, monitoramentos e controles.

Central de Resíduos Sólidos

As Empresas Rio Deserto mantêm o Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), no qual os resíduos
gerados nas unidades são depositados em lixeiras de coleta seletiva e enviados a uma central para serem
separados de acordo com a classificação. Em seguida, os resíduos são recolhidos por empresas licenciadas.

Estação de Tratamento de Efluentes - ETE

As Empresas Rio Deserto mantêm uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), para tratar todos os efluentes derivados da extração de carvão, da percolação de águas residuárias e águas utilizadas em atividades de apoio (como oficinas, refeitórios e sanitários). Entre as técnicas implantadas para o tratamento está a neutralização, aeração e sedimentação em bacias impermeabilizadas.

A água clarificada tratada volta ao subsolo para ser reaproveitada no processo de extração, limpeza, preparação da solução de cal, podendo também ser reaproveitada na agricultura e indústria local. O excedente é lançado no recurso hídrico, atendendo totalmente as exigências da legislação ambiental.

Recuperação, Florestamento e Reflorestamento


Considerando que um dos princípios básicos das Empresas Rio Deserto é a responsabilidade socioambiental, a organização se compromete com a recuperação e revitalização de áreas degradadas pela extração de carvão.

Entre 2010 e 2016, foram investidos mais de R$ 29 milhões para a recuperação ambiental de mais de 2 milhões de metros quadrados, sendo parte deste território degradado no passado por outras mineradoras.

Somente no ano de 2016, as Empresas Rio Deserto recuperaram 225 mil metros quadrados de áreas degradadas. Até 2018, a previsão de investimento é de R$ 6 milhões. Para os próximos dois anos também está prevista a recuperação de mais de 2 milhões e 850 mil metros quadrados, sendo que desta área, 2 milhões de metros quadrados são áreas assumidas pelas Empresas Rio Deserto, mas que não estão inclusas em seu passivo ambiental.

Além de ter florestado em torno de 3 milhões de metros quadrados, as Empresas Rio Deserto também mantém áreas de mata nativa nos municípios de Orleans e de Siderópolis.

Orleans – 5 milhões de metros quadrados de área nativa

Siderópolis – 3 milhões de metros quadrados de área nativa

Ação de Recuperação Ambiental realizada em Orleans, SC

2008 2015

Processo completo e eficiente de recuperação ambiental


Baseado nos critérios do Grupo Técnico de Assessoramento (GTA)*, os métodos de recuperação garantem o processo completo e eficiente com remoção dos rejeitos em Áreas de Preservação Permanente (APP), conformação topográfica e impermeabilização do terreno com argila, execução de canais para condução das águas da chuva e recuperação da fertilidade do solo com introdução de nova vegetação.

O acompanhamento das áreas continua após a conclusão dos trabalhos. Regularmente, as Empresas Rio Deserto realizam monitoramentos e manutenções que asseguram a qualidade da recuperação e o equilíbrio do ecossistema, abrangendo águas, animais e vegetação.

*O Grupo Técnico de Assessoramento (GTA) é composto por 19 instituições, agregando representantes dos réus (inclusive a União), do Sindicato da Indústria da Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (SIECESC), do Ministério Público Federal (MPF), da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (FATMA), do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais – Serviço Geológico do Brasil (CPRM-SGB), e os comitês das bacias hidrográficas monitoradas. Este grupo visa integrar dados, elaborar relatórios técnicos, propor ações de recuperação, priorizar ações, avaliar e propor alterações nos monitoramentos e responder aos questionamentos do Juízo.

Contato

E-mail para contato: meioambiente@riodeserto.com.br.